Ir para conteúdo

CORONAVÍRUS: SEM ALARMISMO OU SUBESTIMAÇÃO; É PRECISO CONSCIENTIZAÇÃO

O Covid-19, mais conhecido como coronavírus, tem causado grande preocupação pelo seu grau de contaminação. Ao todo, 64 países relataram casos da doença, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) e esse número tende a crescer. O Brasil está entre as nações com registro de pessoas infectadas pelo vírus e há dezenas de casos suspeitos em investigação.

No dia 28 de janeiro, quando ainda não havia casos confirmados no país, o Grande Oriente do Brasil – Paraná (GOB-PR) encaminhou, a todos os Irmãos, informações elaboradas pela Grande Secretaria de Assistência, Previdência e Beneficência, com a intenção de preventivamente orientar a família maçônica.

Com o avanço do vírus, o Grão-Mestre Geral do Grande Oriente do Brasil (GOB), Soberano Irmão Múcio Bonifácio Guimarães, emitiu, no dia 28 de fevereiro, um comunicado com uma série de recomendações aos Irmãos das Lojas federadas. “Sua vida é muito importante, e a prevenção é essencial para preservação da saúde e vida, sabemos da dificuldade para nós maçons fraternos, evitar os abraços, apertos de mãos, e ósculos fraternais, mas é para um bem maior, a vida, e a felicidade dos irmãos e da família maçônica”, afirmou o Soberano Grão-Mestre Geral no documento.

Diante do contínuo avanço da doença, ainda existem dúvidas sobre o assunto e a conscientização se apresenta como uma estratégia eficaz. Com o objetivo de contribuir com a prevenção, o Grande Oriente do Brasil – Paraná (GOB-PR) entrevistou o Irmão Humberto Blanco Rodriguez, clínico geral e emergencista há 25 anos, cirurgião geral, cirurgião plástico e perito judicial em cirurgia plástica. Ele é obreiro da ARLS Cavaleiros de São João de Curitiba nº 2903 e ocupou cargo de Grande Secretário de Assistência, Previdência e Beneficência do GOB-PR.

Confira a entrevista:

O que diferencia o coronavírus de outras doenças respiratórias?

Para falar do coronavírus, primeiro precisamos definir o que são vírus. Vírus são micro-organismos com conteúdo genético ADN ou ARN que dão características a cada um. Esses vírus invadem as células e se comportam como parasitas, se reproduzindo. Os vírus têm também capacidade de mutação, o que significa, que podem alterar sua estrutura interior, adquirindo novas características ou formando novo tipo. O coronavírus é uma classe de vírus que existe há algum tempo e vem sofrendo mutações no decorrer dos anos. Em 2002, enfrentamos uma doença respiratória chamada SARS (Síndrome Respiratória Aguda Grave). Em 2012, também teve outro tipo de mutação viral, o MERS (Síndrome Respiratória do Oriente Médio). A diferença de novo coronavírus é a virulência dela. É um vírus que se espalha rapidamente, mas menos letal.  De cada 100 pessoas, 25 precisa de tratamento hospitalar ou acompanhamento médico; 2 podem chegar a morte. Então, a mortalidade é de 2%, mas com virulência alta. 

Quais são os perfis de maior risco?

Pessoas mais atingidas são as que estão no extremo da vida, crianças pequenas, idosos e pacientes imunossuprimidos, diabéticos, hipertensos, cardiopatas, gestantes. Estudiosos afirmam que 70% da população mundial deve ser infectada pelo Covid-19, porque é um tipo de gripe com virulência muito alta, mas baixa mortalidade. Tanto que esse vírus é menos mortal que o H1N1, SARS e MERS, mas com grau de contaminação maior. 

Como evitar o contágio?

A transmissão desse vírus é semelhante à da gripe, sendo essencialmente por contato. Para evitar o contágio é preciso ter o cuidado necessário com a higiene, lavando a mão frequentemente de forma adequada e usando álcool em gel para higienização. É importante também, caso esteja resfriado, o uso de máscara de proteção para não ser disseminador, e quando estiver em local muito aglomerado usar máscara para se proteger. Se você tem algum conhecido que retornou recentemente da Europa – Itália em especial - ou da China, com sintomas de gripe, deve ficar um pouco afastado dessa pessoa e tomar todos os cuidados necessários, evitando o contato permanente. O período de incubação do vírus varia de 2 dias a 2 semanas, tendo como média 7 dias, por isso que a pessoa que não apresentou sintomas nos primeiros 14 dias não foi infectada ou é um portador assintomático. Esse é um perigo, pois muitos portadores serão assintomáticos, sendo vetores de transmissão, levando vírus para outras pessoas que podem ter o quadro grave da doença. 

Quais são os sintomas do Covid-19?

Os sintomas principais das doenças são iguais de resfriado comum: falta de ar, tosse, febre. Em alguns pacientes apresenta complicações renais. Se tiver qualquer um desses sintomas é preciso procurar acompanhamento médico imediato. O Ministério da Saúde está orientando que os casos não graves da doença sejam acompanhados em domicílio, com bastante hidratação, remédio para febre, repouso, alimentação adequada e isolamento. Quando o caso é grave ocorre internamento hospitalar, inclusive, em alguns casos, em UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

Sobre a presença do coronavírus no Brasil, o que é real e o que é alarmismo?

Nós temos que tomar muito cuidado para não criar falsos alarmes, porém não podemos descuidar acreditando que conosco não aconteceria nada. No caso da Maçonaria, a preocupação é ainda maior, uma vez que em nossa Irmandade temos uma grande porcentagem de pessoas acima de 50 e 60 anos, que entram no grupo de risco do Covid-19. É importante alertar que todas as Lojas, antes de iniciar qualquer tipo de atividade, limpem os utensílios de trabalho com álcool, se coloque álcool em gel nas entradas do templo para que os Irmãos antes de se cumprimentarem usem o produto e se algum irmão está sendo portador de sintomas gripais, ainda que não haja estado fora do país, preferencialmente se ausente das reuniões em Loja. Nossos meios de trabalho são fechados. Aquele Irmão com quadro gripal pode ter tido contato indireto ou direto com pacientes portadores do covide 2019, expondo os demais Irmãos que frequentam o templo. Então, durante esse período de epidemia, é preciso evitar o beijo fraterno, simplesmente fazendo o cumprimento e reforçando higienização.

Como os maçons, enquanto líderes e formadores de opinião, devem agir seja no ambiente virtual ou real, em relação a esse assunto?

Como maçons, cabem nos conscientizar que somos vulneráveis como qualquer ser humano. Por sermos formadores de opinião e líderes, devemos estimular campanhas de prevenção e campanha de orientação em escolas para que essa doença, ainda que com mortalidade baixa, não seja subestimada, como ocorre em algumas mídias. Tudo bem que há faixas etárias determinantes para gravidade dos casos, mas você pode ser vetor de transmissão e levar a doença para dentro de casa, contaminando quem você mais ama, sem perceber que era um portador assintomático. Então não podemos deixar de dar importância necessária para a doença, mas não podemos causar pânico. Por isso, com muita delicadeza, precisamos explicar a importância da doença e dos adequados hábitos de higiene.

Sobre Fake News, o que o Irmão pode dizer?

Sobre fake News, é uma tendência mundial, em que as pessoas utilizam para aumentar ou menosprezar alguma circunstância. É um momento de alerta global. Eu peço mais conscientização das pessoas e mais respeito pelo ser humano, porque estamos tratando de vidas e qualquer informação inadequada por causar catástrofes irreversíveis.

Algo mais a acrescentar sobre esse assunto?

Última informação que temos sobre coronavírus é que nenhum dos casos registrados no Brasil provém da Itália. As cepas já foram identificadas no Brasil, com determinação do genoma e baseado nisso dá para ter uma noção de que o coronavírus está se mutando uma vez por mês, por isso que é importante sempre estar tomando vacina de H1N1, porque essas vacinas sempre estão sendo atualizadas e modificadas, acompanhando os tipos de cepa mais presentes. É muito importante estar sendo imunizado, mesmo com a vacina H1N1, anualmente, pois ficamos menos expostos a novo tipo de vírus. A vacinação contra H1N1 também facilita porque descarta possibilidade de contaminação por H1N1, eliminando mais uma doença na hora de diagnosticar e facilitando verificação de possível contaminação por coronavírus. Conscientização e higienização são muito importantes. Fiquemos atentos.


Grande Oriente do Brasil - Paraná

Rua Pedro Huk 87 - Uberaba

CEP: 81.550-230

Telefone: (41)3365-1900

caracteres restantes